44º Passeio Capri - Capri Club Portugal por Terras Serranas

O Capri Club de Portugal realizou o seu 44º passeio no passado fim-de-semana (24 e 25 de Outubro) na bonita região da Serra da Estrela. O ponto de encontro de toda a comitiva ocorreu na manhã de Sábado na Concessão Ford de Coimbra – Auto Garagem de Coimbra. "Fomos muitíssimo bem recebidos em Coimbra e por isso os nossos agradecimentos ao Eng. José Viegas (Sócio-Gerente da Auto Garagem de Coimbra) pela forma como nos acolheu. O pequeno-almoço permitiu o retemperar de forças de todos os participantes", refere José André, um dos responsáveis pelo Capri Club Portugal. De seguida a comitiva rumou a Seia para visita e almoço no Museu do Pão. A tarde ficou reservada para mais duas visitas a Museus: Museu do Brinquedo em Seia e Museu da Miniatura Automóvel em Gouveia, onde o Capri Club Portugal teve oportunidade de doar a primeira miniatura "Capri" ao Museu.

A chegada à Varanda dos Caraquejais (Penhas da Saúde) ocorreu já ao início da noite. O jantar de entrega de prémios foi realizado no Hotel Serra da Estrela na bonita sala serrana, onde a lareira acesa e a decoração das mesas com castanhas antecipavam as verdadeiras noites de inverno que se advinham. A manhã de Domingo "acordou" com um Sol deslumbrante, o que permitiu à caravana percorrer calmamente a sequência de curvas e contra-curvas até à Torre. A luminosidade e a paisagem em redor incentivavam à contemplação. Receita retemperadora para qualquer mente! Para a Torre estava também marcado o encontro com dois mais dois "Caprimaníacos", e estreantes em passeios do Clube, o Rafael Marques e Pedro Cristóvão que vieram reforçar a caravana não só em número como em entusiasmo. Bem vindos!!

De seguida, os Capris e seus orgulhosos proprietários desceram novamente para Piornos, de seguida pela estrada deslumbrante que serpenteia o vale que dá acesso a Manteigas. Passagem obrigatória pelo Poço do Inferno, partindo depois direcção a Belmonte onde foi efectuado o almoço que marcou o encerramento do passeio. Belmonte, Vila Natal de Pedro Álvares Cabral e onde Museus de qualidade não faltam, entre os quais destacamos o Museu "Descoberta do Novo Mundo", "Ecomuseu do Zêzere", e "Museu do Azeite". "Foram dois dias de excelente convívio e boa disposição ao volante de belos Ford Capri, num grupo que integrou cerca de 30 pessoas. Tivemos na estrada um total de 11 Ford Capri, nas suas diversas versões desde os 1.6GT MKI, passando por um raro 1.7GT V4 MKI, e alguns 3.0GT MKI e MKII", acrescenta aquele responsável. Próximo passeio está agendado para 5 de Dezembro na zona da Golegã.

 

 

 

 

 

 

43º Passeio Capri - Encontro do Estoril

 

 

 

 

42º Passeio Capri - Passeio dos Aniversários

 

 

 

41º Passeio Capri - "O grande Lago"

 

 

 

40º Passeio Capri - Ford Capris às Vindimas

26 a 28 de Setembro 2008

Aceite um desafio. Feche os olhos e pense em três locais de sonho em todo o Mundo. Pois é! Muito provavelmente os primeiros nomes que surgem estão relacionados com uma qualquer praia no meio do Oceano, ou talvez uma cidade famosa ou quem sabe um destino exótico a muitas, muitas horas de distância de avião.

Já pensou que a mesma questão colocada a outros cidadãos Europeus ou Americanos, poder ter como primeira resposta - Douro. Douro?

Sim, Douro! A região "Património Mundial da Humanidade", sem dúvida uma das mais belas do Mundo e que serviu de palco a mais um passeio Ford Capri.

O desafio desta vez não era fácil, uma vez que a "fasquia" tinha ficado elevada aquando do primeiro passeio a estas paragens e desde logo ficou reconhecido como um dos melhores eventos realizados pelo nosso Clube.

De forma a aproveitámos ao máximo o tempo disponível, optámos, pela primeira vez, por iniciar um passeio de fim-de-semana à Sexta-feira. Esforço adicional para muitos dos participantes (a maioria era proveniente da zona Oeste e de Lisboa), mas claramente recompensado pelo tempo extra obtido no Sábado.

Sexta-feira (26 Setembro) todos os participantes fizeram-se à estrada, uns de manhã (para estes ainda houve tempo para uma escapadela à Exponor para visita à Auto Clássico), outros durante a tarde e outros ao final do dia, tendo como destino Resende, mais propriamente Ermida – Quinta da Ermida. Este turismo de habitação acolheu o nosso grupo de 18 viaturas e 46 pessoas. Para além de vários Capris MKI, Caprissimos, Capris MKII e Capris MKIII, também marcaram presença um Ford V8, um Ford Cortina 1500GT, um Ford Mustang Cabriolet e um Escort RS Turbo.

A manhã de Sábado (27 Setembro) acordou com um céu azul digno de qualquer dia de Verão e que permitiu a todo o grupo perceber o local "mágico" onde tinham pernoitado - a Quinta da Ermida. É uma propriedade situada na margem direita do Rio Douro, a dois passos estação da linha férrea do Douro, que desta casa tomou o nome.

A casa principal, uma das mais famosas do concelho de Baião, foi construída nos meados do Sec. XIX pelo Conselheiro António Camilo de Almeida Carvalho, que, tanto no aspecto exterior como no mobiliário com que interiormente a adornou, soube marcar, bem nítida, a rubrica do seu primoroso bom gosto. Está cercada de jardins e terrenos de cultura e limitada a poente pelo ribeiro Zêzere, a sul pelo rio Douro, a nascente pelo rio Teixeira e, abrigada do Norte pelos montes que da Ermida sobem até aos altos de Guimarães e Travanca. Tem ainda como pontos adicionais de interesse a Praia Fluvial, a Cachoeira (Ribeira do Zêzere), os Moinhos de Água, a Foz do Rio Teixeira e a Linha Ferroviária que atravessa a propriedade. Sem dúvida um conjunto de características únicas que, em conjugação com um enquadramento natural singular, lhe permite ambicionar à distinção de um dos mais belos locais da região.

Todos os quartos ficam a cerca de 50mt da água e como seria de esperar têm vista para o Rio Douro. Pequeno-almoço tomado, deu-se início à visita à Quinta onde tivemos como guia, o simpático e sempre disponível sr. António Pinto. A visita, a pé, demorou cerca de uma hora e serviu para abrir o apetite ao belo almoço que nos esperava no topo da Serra de Montemuro, numa localidade chamada Gralheira. No topo desta serra está a ser construído um enorme parque eólico, com algumas das suas torres, turbinas e hélices ainda em fase de montagem. Por curiosidade conseguimos medir quantos "Capris" (nova medida do sistema métrico) mede uma dessas hélices – 7 Capris.

Após o almoço toda a caravana rumou para um serpenteado de curvas que nos levou do topo da serra até a Caldas de Arêgos, localizada na margem esquerda do Rio Douro, bem junto à água.

Partimos de Caldas de Arêgos em direcção à Quinta da Erminda, passando por Oliveira do Douro, Porto Antigo, Mosteirô, Sta. Cruz do Douro e Tormes. À nossa espera, no cais privado da Quinta, estavam as duas embarcações que levariam o grupo até à Régua. A viagem pelo Rio Douro é sempre uma experiência inesquecível e que muitos vão recordar, não só pelas paisagens de sonho como também pelas Cavacas de Resende e Vinho do Porto que foram servidos a bordo.

A Quinta da Pacheca foi destino seguinte, onde mais uma surpresa estava preparada. Um autocarro levou os participantes da Régua até à outra margem do Rio, onde está localizada a referida Quinta.

E que surpresa era essa? Algo que muitos não contavam ou que tendo ouvido não acreditaram – participar nas "Lagaradas".

Pois é! O desafio era colocar o grupo a pisar uva, à moda antiga. Nem todos receberam a ideia de forma muito efusiva, mas ainda assim conseguimos reunir alguns "bravos do pelotão" nesta experiência e nem mesmo os mais novos se negaram à aventura. E ainda dizem mal da juventude!!

Com esta ajuda do grupo do Capri Club Portugal, a colheita de 2008 sairá com certeza com melhor qualidade. Temos ainda outra certeza: as uvas ficaram bem "calcadas"! A avaliar pelo peso de alguns dos voluntários, entre eles este vosso escriba.

Lanche tomado, acompanhado de mais uma prova de vinhos (Porto e maduro), era hora de rumar de novo à Quinta da Ermida, onde foi servido o jantar de distribuição de prémios do passeio.

A manhã de Domingo (28 Setembro) acordou mais uma vez esplendorosa, com céu totalmente azul e o sol a brilhar (realmente temos de eleger o São Pedro como padroeiro do Clube!) e teve como ponto alto a visita à Fundação Eça de Queiroz, localizada em Tormes. Esta pequena localidade perto de Sta. Cruz do Douro, ficará para sempre ligada à obra do escritor pois foi aqui que se inspirou para escrever o livro "A Cidade e as Serras". A casa, que serve de sede à Fundação, tem em exposição permanente um conjunto vasto e riquíssimo de objectos de Eça, o que fazem dela um local imperdível a quem visitar esta região.

De volta à estrada, fomos percorrendo um serpenteado de curvas que nos levou de Tormes até Lamego, sempre com o Rio Douro como pano de fundo. A visita a Lamego foi rápida (até porque os estômagos já reclamavam), mas uma foto de grupo ao fundo da escadaria na Nossa Sra. dos Remédios foi algo que não prescindimos. Lamego, Cambres, Régua foi o último trajecto percorrido em pela totalidade dos veículos participantes. O almoço estava marcado para um restaurante no topo da encosta da Régua, com uma vista magistral sobre a cidade e claro está, sobre o Rio Douro. Um quadro natural ao qual acrescentámos os nossos magníficos Ford Capri. Resultado: Uma foto igual à paisagem – de sonho!

O próximo passeio está a ser preparado para o final de Novembro ou início de Dezembro em local ainda a anunciar. Vamos acabar o ano em grande!

 

 

Contactos:
Pedro Paula Pinto 965402480
José André 965015996